Relembre os funerais que marcaram o mundo do esporte ( imagem: Divulgação)

Diante de tantas perdas no mundo da bola, sendo a mais recente do ex-jogador, o rei Pelé, você sabe quais são os funerais que marcaram o mundo do esporte?

Se você não se lembra, aqui vamos relembrar os funerais que marcaram o mundo do esporte. Veja!

Afinal,  quais foram os funerais que marcaram o mundo do esporte

Garrincha

Em primeiro lugar, a festa nas ruas no adeus a Garrincha, naquele janeiro de 1983, produzia um contraste melancólico devido ao triste fim da estrela.

Publicidade

Isso porque, convivendo com o alcoolismo desde os tempos de jogador, o craque acabou tendo os seus últimos anos marcados por confusões policiais por violência doméstica à esposa Elza Soares.

Além disso, o craque ficou nas manchetes não apenas por isso, mas também pela letal mistura de álcool e remédios, ganho e perda de peso e tentativas frustradas de jogar.

A situação ficou tão crítica que, devido às dificuldades financeiras do jogador no fim da vida, até mesmo suas despesas com o velório, ficaram por conta de amigos como o cantor, também falecido, Agnaldo Timóteo.

Isso porque, a estrela era botafoguense de carteirinha e na época precisou ser consolado por Nilton Santos tamanha sua tristeza.

Além disso, o ex-companheiro de Garrincha e ídolos do passado, demonstraram emoção, mas também revolta pela ausência de craques do presente. Veja o que disseram:

“Se hoje temos jogadores com altos salários, em parte, isso é devido ao Mané. Infelizmente, as pessoas esquecem tudo muito depressa. Ou não dão valor”, esbravejou Nilton Santos nas páginas do O Globo.

E não foi apenas ele a se declarar durante os dias tristes. “Só não foi ao Maracanã quem não quis. Isso prova que o jogador brasileiro não tem sentido de classe”, reclamou o ex-zagueiro Brito, campeão no México-1970.

Publicidade

Além disso, duas décadas antes, outro ídolo do Botafogo não foi lembrado nem por jogadores, nem pelo povo.

Heleno de Freitas

Afinal, Heleno de Freitas foi sepultado na pequena São João Nepomuceno, onde nasceu. O triste fim do craque deu o que falar, já que se foi esquecido e longe dos holofotes que o consagraram na década de 1940. Tudo porque passou quase cinco anos de internação em Barbacena (MG), por causa da sífilis terciária, que lhe corroeu a saúde mental.

Ayrton Senna

Além desses, em 5 de maio de 1994, o Brasil sepultou o piloto Ayrton Senna, que morreu em acidente no GP de San Marino, em Ímola. O velório levou meio milhão de pessoas às ruas de São Paulo.

“Cem horas de sofrimento do povo brasileiro, iniciadas na manhã de domingo, com um estúpido acidente em Ímola, tiveram seu momento culminante ontem, às 12h30, quando o maior piloto de corridas de todos os tempos foi enterrado no cemitério do Morumbi, em São Paulo”, destacava o texto no O Globo no dia seguinte ao enterro.

O amor da nação pelo piloto era tanto que o corpo de Senna só chegou ao cemitério depois de um cortejo de 17 quilômetros.

Para se despedir do piloto, seu caixão era levado por astros do automobilismo, como:

  • Emerson Fittipaldi,
  • Jackie Stewart,
  • Gehard Berger,
  • Raul Boesel e
  • Alain Prost, que chegou a afirmar que “em homenagem a Ayrton, nunca mais me sentarei num carro de Fórmula 1”.

Jogador Dener

Poucos dias antes da partida de Senna, o jogador Dener dormia no banco de carona quando o carro em que estava se chocou com uma árvore, na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio, matando o jogador do Vasco com apenas 23 anos.

A comoção foi tanta que mais de 10 mil pessoas foram ao velório, no Canindé, estádio da Portuguesa.

Por último, o Brasil perdeu seu Rei do Futebol.

Publicidade

Pelé

A última perda, a mais recente e ainda doída, foi a do Rei do Futebol, Pelé. Isso porque, o futebol perdeu seu rei na última quinta-feira (29), quando o maior jogador da história, partiu aos 82 anos.

Relembre os funerais que marcaram o mundo do esporte ( imagem: Divulgação)
Relembre os funerais que marcaram o mundo do esporte ( imagem: Divulgação)

O velório, que ocorreu após a posse do presidente Lula a pedido do jogador, começou a ser realizado das 10h desta segunda-feira (2) até as 10h de terça (3), na Vila Belmiro.

Nesse sentido, o enterro, que é restrito aos familiares, ocorre também na terça, no Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos.

Veja também: Keno se despede do Galo e vai para o Fluminense! Saiba aqui!

Dessa forma, agora que você sabe quais são os funerais que marcaram o mundo da bola, só nos resta deixar sempre uma mensagem de carinho e força aos familiares e amigos.

Continue navegando com a gente!